Pular para o conteúdo principal

Postagens

Recuperação de stash perdida

Bom pessoal, passei um sufoco bem grande esses dias, onde no frigir dos ovos, eu realizei modificações importantíssimas no meu código, fiz (stash), alterei algumas coisas e no fim, (stash clear). Por que? Falta de atenção, stress, loucura, demência, sei lá.
O fato é que percebi o acontecido somente no próximo dia útil (segunda-feira).
Daí, eu tive que por o cérebro para funcionar, lembrar o erro que havia cometido e escolher formas para chegar aos dois kilos de código alterados na sexta feira...

Uma vez que tudo no git possui um SHA-1 e os índices não são apagados automaticamente (git-gc), o que eu limpei do stash deveria estar em algum lugar do banco de dados do meu repositório GIT local.

Mãos a obra na pesquisa e encontramos um camadara muito útil na documentação do (fsck):
--no-reflog: Do not consider commits that are referenced only by an entry in a reflog to be reachable. This option is meant only to search for commits that used to be in a ref, but now aren’t, but are still in tha…
Postagens recentes

Como levantar um sharding do MongoDB

https://gist.github.com/paulobezerr/98016c2a89126c59bca3260e07bbdc44

Requisitos mínimos: Uma máquina para router (mongos)Três máquinas para configuração (metadata - mongod)Duas máquinas para guardar os dados (mongod) - Essas você pode instalar o mongo, abrir para fora e deixar rodando O primeiro passo é criar o replicaset de configuração: Se em produção, criar três máquinas que receberão uma instância do mongodb, senão, utilizar a mesma máquina, porém mudar as portas das instâncias (por favor, se não souber como funciona, sobe VM e se vira com várias máquinas).Configurar três instâncias do mongodb com wiredTiger, setando o nome do replicaSet (igual em todas) e ativando o clusterRule para configsvr.Ligar as três instâncias. O arquivo de configuração modelo é: storage:   dbPath: /var/lib/mongodb   journal:     enabled: true   engine: wiredTiger systemLog:   destination: file   logAppend: true   path: /var/log/mongodb/mongod.log net:   port: 27019   bindIp: 0.0.0.0 sharding:    clusterRole…

Problemas para instalar vmware

Bem pessoal, tive um problema que me deixou com certos problemas durante alguns dias após atualizar meu archlinux.

Eu tinha o vmware-workstation-10 instalado e atualizei meu kernel do archlinux para a versão 3.18.5.1.
Como era de se esperar eu precisaria reconfigurar os módulos do vmware, porém também quis atualizar a versão para a 11 e então começaram meus problemas...

Desinstalei o vmware utilizando o vmware-installer -u, e depois tentei fazer a instalação, porém o instalador informava que fazia a descompressão e explodia depois disso.

Depois de debugar o sh do instalador e fazer umas tentativas eu descobri a mensagem de erro:
/tmp/vmis.TI2W73/install/vmware-installer/vmware-installer: line 51: /usr/lib/vmware-installer/2.1.0/python/init.sh: No such file or directory

Não sei o por que, nessa página, depois de desinstalar o programa o cara exclui a pasta /etc/vmware e isso incrivelmente resolveu meu problema....
Então é isso pessoal, apaguem a pasta /etc/vmware e vocês conseguirão ins…

Problemas com o automount do VMWare Tools

Precisei compartilhar uma pasta de meu host linux com minha VM Fedora através do compartilhamento de pastas do vmware-tools e o problema que eu tive é que o vmware-tools simplesmente montava a pasta automaticamente no /mnt/hgfs. Pra mim isso foi um problema muito grande, porque eu não podia usar links simbólicos por particularidades do projeto mesmo.


Pra resolver o problema eu fui ao arquivo /etc/rc.d/init.d/vmware-tools e no trecho a seguir, que faz parte da funcao main(), eu comentei a linha como está a seguir:
vmware_exec 'Mounting HGFS shares:' vmware_mount_vmhgfsA partir disso ao iniciar o daemon, as unidades não serão montadas e você poderá fazer montagem através do fstab em diferentes locais.Faça suas modificações por sua conta em risco.

Começando com PHP, após instalação do Apache e intepretador 2

Pra quem acompanhou a primeira parte, pode-se perceber que no código fonte mostrado pelo navegador não mostra seu código PHP, mas o resultado desejado. Isso acontece porque o PHP é interpretado no servidor e entregue para o cliente quando este requisita pelo navegador. O cliente recebe todo o código e o próprio navegador e interpreta o HTML e JavaScript, mostrando o que é desejado na tela.

Pelo fato de cada navegador interpretar o JS e HTML a sua maneira, existem problemas de compatibilidade corriqueiros (principalmente com a porcaria do IE). Por isso um navegador pode exibir o mesmo site de maneiras diferentes em outros. É possível contornar isso com algumas artimanhas que servem para cada problema em particular.
O comando <?php echo"Meu código PHP"; ?>, serve para imprimir na tela algo desejado. O servidor interpreta o código e devolve para sua página: Meu código PHP.

Existe uma coisa chamada variável, em que você define um valor, acessa-o, edita-o e o utiliza em tod…

Começando com PHP, após instalação do Apache e intepretador

Após instalar o apache e interpretador PHP, já é possível começar a programar e visualizar o sucesso ou insucesso de seu programa.
Acesse a pasta raiz do seu servidor: se linux, normalmente '/var/www/', ou windows 'C:\www'.
Crie um arquivo para que você acesse via url.
Por exemplo: 'aprendendo.php'.
Nesse aquivo coloque:

<!DOCTYPE html><html><head><title>Aprendendo<title></head><body><h3>Minha página em HTML</h3><h4><?phpecho'Meu código em PHP.';?></h4></body></html>
Acesse por seu navegador: localhost/aprendendo.php
Aperte Ctrl + U e veja o código que é mostrado.
No próximo post, vou criar um esquema para explicar o que você poderá notar de diferença entre o seu código e o que foi aparecido no código fonte, pelo navegador.

Até a próxima!

Problemas com locale em pt_BR no Archlinux

Após três meses de utilização do Ubuntu, decidi voltar para o ArchLinux e me deparei com um problema besta, mas que demorei a descobrir a causa.

Ao instalar o sistema, escolhemos no arquivo locale.gen os charsets desejados para o sistema e depois criamos o arquivo locale.conf, com as indicando o idioma do sistema, unidade monetária, data, etc...
Prefiro utilizar minhas distros em inglês mas claro que desejo que todo o resto esteja configurado para o nosso país. Pois bem, Coloquei no arquivo as seguintes configurações:
LANG=en_US.utf8 LC_TIME=pt_BR.utf8 LC_ALL=pt_BR.UTF8 LC_NUMERIC=pt_BR.utf8 LC_MONETARY=pt_BR.utf8 LC_MEASUREMENT=pt_BR.utf8
O problema é que ele me mostrava as datas todas em inglês e o Gnome ficou sem entender qual LC_TIME e LC_CTYPE eu havia selecionado. Quando eu executava:

$ locale

Eu obtinha exatamente o que eu havia colocado no meu conf e com três linhas de erro, dizendo que não foi possível encontrar o arquivo ou diretório. Depois de pesquisar muito e não encontrar…